sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Natal 2012

Pois é, o ano está indo embora e eu passei meu segundo Natal em Dublin. O primeiro Natal não saiu nada como planejado, mas felizmente foi bem sucedido, já na segunda tentativa foi tudo bem, apesar de eu ter mudado 1543x a sobremesa que iria levar.

A Gigi me convidou pra passar o Natal na casa dela antes mesmo de eu ir de férias pro Brasil, à época eu disse que levaria uma torta de limão, eu tinha a receita no Brasil e pegaria lá durante minhas férias.

Enfim, voltei e esqueci de copiar a receita, mesmo assim eu tinha uma ideia do que ia e fui comprar os ingredientes e desisti da torta por que limão aqui é muito caro.

Alternativa dois foi um cheesecake, mas eu não queria fazer de frutas pra não depender justamente dos preços, então pensei em fazer de chocolate, mas a própria Gi me disse que poderia ficar muito caro. Então mudei de receita de novo. Mousse de maracujá, copiei uma receita bem fácil na internet e fui comprar os ingredientes, na receita que copiei pedia pra colocar gelatina de maracujá na mistura e lá fui eu bela e formosa na lojinha brasileira comprar gelatina de maracujá, achei comprei e quando cheguei em casa percebi que a gelatina era sim de maracujá, mas a cor dela era como a cor de uma gelatina de framboesa, isso por que o maracujá pra essas bandas tem a casca roxa, como a de uva. Vivendo e aprendendo.

Enfim, fiquei com medo de ficar um mousse muito estranho e resolvi fazer mousse de chocolate, por que já tinha tudo que precisaria, fiz o mousse mas ele não endureceu o quanto deveria :( mas todos que provaram, aprovaram.

Na noite do dia 24 fui lá pra casa da Gi, cheguei as 9 da noite logo depois de uma parte dos outros convidados, a maioria brasileiros e amigos da housemete dela, também brasileira Danúbia. É claro que teve muita comida, muita bebida e risadas, foi bem bom ter ido passar o Natal lá, todo mundo comeu até ficar triste, bebemos mas não exageradamente e as 3 da manhã eu chamei um taxi e vim pra minha casa. A Gi me ofereceu abrigo, mas eu preferi voltar pra casa até por que não fui preparada pra dormir por lá e eu já durmo mal longe da minha cama quando estou preparada pra isso, sem estar preparada então aff.












Sou muito talentosa pra adicionar fotos e ficou tudo fora de ordem, vou deixar assim mesmo.

E com vocês a música que embalou meu Natal, longe de casa mas sabendo que seja quando for que eu decida voltar, lá terá espaço pra mim.


(home) is the only place I know 
that no matter how often I come and I go 
there’ll be always room for me



segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Lá e de Volta

Pois é, eu já havia deixado pistas aqui de que iria para o Brasil e fui, mas já voltei.

Minha viagem foi no dia 30 de Novembro, ai que viagem longa e cansativa, utilizei a mesma cia aérea que usei pra vir pra Dublin a KLM, era a passagem mais barata pra época que eu queria e eu já sabia da qualidade da companhia, então lá fui eu.

Saí de Dublin as 6 da manhã, voo de 1h40 e conexão em Amsterdam e então voo de quase 12hrs até Guarulhos, meu irmão estava com problemas no carro então ninguém foi me buscar no aeroporto #chatiada, na verdade a mãe da Michelly, uma amiga minha aqui de Dublin foi lá no aeroporto, ela tinha que me entregar algumas coisas da Mimi, então não fiquei completamente abandonada, do aeroporto de Guarulhos peguei um ônibus por Terminal Tietê em São Paulo e de lá um ônibus pra Limeira. Eu disse que foi uma viagem longa.

Finalmente em Limeira as 11 e meia da noite foram me buscar na rodoviária, paramos em um lugar pra comer esphiras mas a cozinha já estava fechada, então me conformei com um cachorro quente no melhor estilo brasileiro. Bom, e pra acompanhar, suco de acerola geladinho aiaiai, a vida me maltrata.

Nos primeiros dias o mais complicado foi mesmo me adaptar ao fuso horário e descansar, muito calor, eu sempre com sono, passei alguns dias comendo e dormindo. Consegui rever alguns amigos e praticamente toda a minha família.

O motivo da minha ida foi o casamento do meu irmão. Ele e minha cunhada já moram juntos desde agosto de 2003 mas só agora decidiram oficializar a coisa, como eu só tenho um irmão e sabia que toda a minha família estaria lá eu sabia que não poderia deixar de ir, e fui. Melhor decisão ever. Foi extremamente importante pra mim estar lá por quase 2 semanas, rever pessoas, beijar e abraçar quem eu amo, conversar com velhos conhecidos, ajudou também a traçar os planos pra 2013, pensar se vou realmente voltar. Se tivesse levado todas as minhas coisas não sei se teria voltado pra Dublin, por mais que eu ame isso aqui estar perto de quem a gente ama desde quando se entende por gente é muito valioso, e eu achava que era imune a esse "sentimentalismo".

A viagem de volta foi pela Air France, quando comprei a passagem só coloquei no site da KLM as datas e destinos de ida e volta, mas como a Air France é uma cia parceira e com a combinação KLM - Air France a passagem ficaria num valor menor foi o que escolhi, fiz todo o caminho até o aeroporto de ônibus (Limeira>São Paulo>Guarulhos)  e de lá voo até Paris (ai que chique) e então, finalmente Dublin, escolhi uma conexão mais longa em Paris, assim pude deitar em um dos louges no aeroporto e dormir.

Cheguei em Dublin, tirei um cochilo me arrumei e sai pra encontrar uma galera, voltei pra casa quase 2 da manhã e dormi até 3 da tarde no dia seguinte. Acordei nova.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Looks like Brazilian

Como já disse no post anterior, na última segunda-feira passei quase 5 horas na imigração Irlandesa pra renovar o meu visto, pois bem, não é novidade alguma que a cidade está repleta de brasileiros, você ouve português com sotaques de todas as partes do país, principalmente na regão central.

Uma prática comum entre os brasileiros é acerter quem é brasileiro só de olhar. Muitas coisas denunciam, tais quais:

Meninos: com roupas e jeito de quem vai na academia de manhã, à tarde e à noite

Meninas: Bota de cano alto por cima do jeans claro, luzes no cabelo, com raízes crescidas, dá pra saber há quanto tempo a amada chegou pelo tamanho das raízes.

Tem ainda o fato de que brasileiro usa tênis de academia o tempo todo, mesmo que nunca vá pra academia.

Pra mim rosto cheio de espinha e linguagem corporal conta muito. Não sei por que mas brasileiro é espinhento, eu só comecei a reparar isso aqui, um espanhol por exemplo de 20 anos, não tem tanta espinha no rosto como um brasileiro da mesma idade. Não sei por que, mas pra mim esse é um fator importante.

Linguagem corporal é fácil, as meninas andam de um jeito diferente, os meninos também. Mas mesmo sem os fatores "Obviamente você é brasileiro(a)" eu ainda acerto quem é da terrinha. Como eu disse de brincadeira, devo ter algum Brazilian Detector das Organizações Tabajara e nem sabia. Nas 5 horas que fiquei na imigração acertei todo mundo que achei que era brasileiro à primeira vista, eu sei porque quando chamam seu nome pra pegar o cartão do GNIB dizem sua nacionalidade, e como todos vão no mesmo guichê eu ficava só de olho, acetando um após outro e olha que alguns eu disse "esse é brasileiro" e depois "será mesmo?" e era. Ha!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Renovando o Visto: Parte II - Imigração

Depois de me matricular devidamente na escola e comprar o seguro com eles, comecei a estudar, a apólice de seguro demora alguns dias pra chegar, então comecei a estudar antes mesmo de renovar efetivamente o visto.

Consegui pegar a apólice na quinta-feira (01/11), como às sextas a imigração fecha mais cedo e eu trabalhei até mais tarde não rolou de ir lá, então fui na segunda-feira 05/11. Alguns amigos já tinham me dito pra ir cedo, por que o processo estava lento, mas eu estava de folga e daí dormi mais um pouquinho, cheguei lá as 10 da manhã e depois de levar 20 minutos só pra pegar a senha percebi que a espera seria longo, mas eu estava preparada, levei um livro e chocolate.

Foram 4 horas de espera, por coincidência fui atendida no mesmo guichê que no ano passado, número 6. Mostrei meu documentos e a senhora que me atendeu conferiu tudo e foi buscar a carta original que a escola enviou. Ela demorou tanto que eu achei que não tinham mandado, ou que tinha dado algum problema, enfim, ela voltou e me pediu pra colocar o dedo indicador de cada uma das mãos pra fazer a leitura biométrica, depois tirar uma foto e pagar sofridos € 150.

Depois disso tudo voltei a esperar mais 50 minutos até chamarem meu nome e eu pegar de volta meu passaporte carimbado e o cartão com visto até 29/10/2013.

Os documentos que precisei levar pra na Imigração para renovar o visto foram:

-Passaporte;
-GNIB anterior;
-Cópia da carta de aceitação da escola;
-Cópia do seguro saúde;

Para poder renovar o visto como estudante é preciso que na escola anterior, ou durante a validade do visto anterior caso esteja renovando com a mesma escola, apresentar a carta de attendance, que nada mais é que a carta de frequência, comprovando que você compareceu a pelo menos 85% das aulas. Eu não levei esse documento pois a minha escola anterior, The English Academy, envia direto pra imigração, algumas escolas entregam pros alunos. A senhora que me atendeu não perguntou da carta, e nem procurou por ela, isso acontece, muita gente que tinha attendance baixo consegue renovar o visto normalmente por causa desse descuido de alguns funcionários, eu tinha attendance suficiente, por isso nem me preocupei.



Visto renovado, agora é estudar e viajar.


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Renovando o visto: Parte I - Escolha da Escola

Desde antes de vir pra Dublin eu já tinha a intenção de renovar meu visto, é claro que eu imaginava que iria conhecer uma dúzia de países (pelo menos)  e daí 2013  seria pra ir aos mais exóticos e menos visitados. Pois bem, não foi o que aconteceu.

Além de quere viajar eu sabia que 6 meses de aula não seria suficientes pra atingir o nível de inglês que eu ainda desejo, então viajar e estudar ( a ordem dos fatores não altera o produto)  estavam na minha lista de por que renovar, isso antes mesmo de vir. Pois bem, o tempo passou, o inglês evoluiu, eu pouco viajei e o visto venceu. Hora de renovar. Mas onde?

Da mesma maneira que tinha certeza de que gostaria de renovar, também tinha certeza que queria renovar na minha primeira escola, gostei muito da minha experiência lá, mas muitas pessoas tiveram problemas com a The English Academy, muitos amigos que foram do Upper Intermediate pro Advanced reclamaram dos professor, e isso somado ao fato deles, ao contrário da maioria das escolas, não darem desconto pra quem está renovando me fizeram mudar de ideia, e sair batendo perna a procura de uma escola pra renovar o visto.

Não serei dramática e mentirosa dizendo que fui a dezenas de escola, fiz vários orçamentos e no fim escolhi a melhor, eu fui pessoalmente a três escola, na escola que era minha primeira opção não fui bem atendida, e até hoje estou esperando um retorno deles. Na segunda escola fui bem atendida, mas eles não tinham Advanced à tarde, então fiz mais alguns orçamentos online e fiquei muito tentada a fechar com uma escola que fugia do meu orçamento, mas tem ótima fama, mas eles também não tinham Advanced à tarde.

O meu tempo já estava acabando, então decidi por uma escola famosa entre os brasileiros, mas com boa fama, liguei lá e me informei do preço, e que por sorte estava com um desconto, dentro do meu orçamento, fui lá no dia seguinte e fechei.

Escolhi a ECM, como já disse famosa entre brasileiros, aliás, na minha sala só tem brasileiros e um coreano. Começei na semana passada então ainda não posso atestar a qualidade, melhor esperar o fim do primeiro mês. Mas até agora tenho gostado das aulas.

sábado, 3 de novembro de 2012

Mingled

Se você está aprendendo inglês e realmente gosta da língua, uma hora ou outra vai colocar uma palavra no em inglês no meio da frase.

That's really normal, brasileiros que estão fazendo intercâmbio, ou mesmo aqueles que consomem muito (musicas, filmes, seriados)  em inglês fazem isso o tempo todo, eu fazia no Brasil, e a aqui em Dublin, todo mundo faz, é rotineiro falar nas duas línguas ao mesmo tempo, e mais comum ainda esquecer palavras em português e só lembra-las em inglês.

Na semana passada achei um filme antigo pra assistir na internet, Breakfast at Tiffany's (Bonequinha de Luxo),  desde o início do ano eu comecei a assistir tudo o que fosse possível sem nenhuma legenda, então procurei o  filme com áudio original e sem legendas, comecei a assistir e depois de 1 minuto fiz careta e disse pra mim mesma "Aff, como eu caí nesse filme dublado? Ok vai, filme antigo dublado não tem problema" continuei a assistir e pasmem meus queridos o filme não era dublado coisa nenhuma, meu cérebro deu tilti eu por alguns instantes entendi inglês como sendo minha própria língua.

É claro que depois de mais de mais de uma ano eu já não tenho dificuldades em entender inglês, alguns sotaques são trick, e algumas palavras desconhecidas, mas de uma forma geral eu entendo super bem, mas nunca tão bem a ponto de não distinguir inglês de português.  Depois do susto e de algumas risadas comigo mesma continuei com o filme. Vale a "assistida".

Tudo isso pra ilustrar que depois que a língua cola no seu cérebro, é mais fácil você esquecer a língua materna do que a aprendida depois de grandinho.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

E um ano se passou...

Isso mesmo, já faz um ano que cheguei na Irlanda. Incrível como o tempo passa voando em frente aos nossos olhos e só nos damos contas em datas assim, 12 meses, 365 dias, passou gente.

O inglês melhorou, isso com certeza, as viagens foram poucas, e ainda assim me fizeram ter a noção de quanto o Brasil, tão grande, é tão pequeno comparado ao resto do mundo.

Passei por perrengues, mas consegui superá-los, o mais importante com certeza são as amizades que fiz e que sei que vão durar pela vida, pessoas, essa sempre é a parte mais importante de qualquer experiência.

Queria muito citar todas as pessoas que conheci, mas seria injusta com alguém então é melhor não fazer isso, mas ter tido a oportunidade de conhecer a Tarsila do Vida na Irlanda e a equipe do E-Dublin foi um imenso prazer, dois sites que me ajudaram imensamente no meu longo período de preparação. As meninas do E-Luluzinhas, sempre diversão e gordices garantidas. Os amigos que fiz na escola, gente que mal me conhecia e que se abriu, me ajudou, riu, bebeu e dançou comigo. Inenarrável. E os amigos de amigos que viraram meus amigos, ai não tem como explicar.

Por outro lado é um tempo muito grande sem a família, sem os amigos de longa data, a visita da Vivi amenizou um pouco a saudade, pra logo em seguida fazer com que ficasse ainda maior, por que visitantes vão embora. e nesse caso, pra bem longe.

Mas se colocar tudo na balança, jamais poderei reclamar, mesmo com os perrengues e a saudade que cresce a cada dia, com algumas das pessoas indo embora e me deixando aqui (drama queen) essa tem sido e tenho certeza continuará sendo a experiência mais enriquecedora da minha vida. Agora outra contagem, a de países que ainda tenho que conhecer, a lista é grande, e é bem complicado decidir pra onde eu vou, mas o mundo é grande e cheio de lugares incríveis e pessoas interessantes. Here I go.


sábado, 6 de outubro de 2012

Voltar pra quem?

Eu já decidi renovar meu visto, então esse não é exatamente um dilema, mas é uma pergunta que venho me fazendo. Pra quem eu vou quando eu realmente voltar?

Sim, minha família está lá, e com certeza eles são o maior motivo de ainda querer ir pro Brasil, meus amigos de velhas datas também estão lá, mas veja bem, quase um ano se passou desde que entrei naquele avião rumo a terra da chuva eterna, e minha vida continuou e a vida das pessoas por lá também. A grande verdade é essa, a vida continua, com ou sem a gente por perto. Quando ainda estava no Brasil, morando na mesma cidade que a maioria dos meus amigos já era difícil me encontrar com alguém, imagine a gora, com as pessoas casadas, com filhos, namorando. Eu vou ficar eternamente sozinha.

Pelo menos em Dublin eu sempre tenho companhia, sempre tem alguém avulso, e mesmo que não tenha, a cidade é interessante, os arredores também, e viajar pode ser bem barato, tem coisas que eu não me importo em fazer sozinha, mas ninguém gosta de estar sempre só. Eu não vou ficar pra lá e pra cá com meus pais, não aos vinte e muitos anos, não me entendam mal, eu os amo, mas assim como eles aproveitaram a companhia dos amigos deles por anos a fio, eu também quero aproveitar a companhia dos meus, só não sei se eles querem o mesmo.

Por isso,  e por muitos outros motivos, vou ficando.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Generalizando: Africanos

Como eu disse no post anterior, passei dos meses trabalhando em dois lugares, naquele meu segundo emprego além de brasileiros, alguns irlandeses e espanhóis haviam também muitos africanos e de vários países da africa, por isso esse post é uma generalização, injusta como toda generalização.

Quando eu conheço um brasileiro é normal que a gente se pergunte de onde é, há casos em que você acaba por descobrir que a pessoa é da mesma região que você, que o irmão dele estudou na mesma faculdade que o seu etc. Mas se você é negro(a)  e um africano vier falar com você ele virá com a certeza de que você também é da Africa, e a primeira pergunta que ele te fará - antes mesmo de um Hi, how are you - é where are you from? esperando como resposta o nome de algum país africano, óbvio, quando eu com cara azeda (depois da vigésima experiência)  respondia que era do Brasil enfrentava faces incrédulas e uma vez chegaram a me perguntar se eu tinha certeza. Olha, só respirando fundo antes de responder viu.

Então não contentes com minhas origens tupiniquins alguns dos meus à época colegas de trabalho começaram tentar investigar meu passado familiar, me pediram fotos da minha família, eu achei bonitinho, ainda não tinha caído a ficha do que eles queriam, conforme mostrava as fotos dos meus pais e das minhas avós perguntas repetidas várias vezes, de onde é sua avó, ela é da africa né. E eu muito simpática mas ao contrário, respondi que ninguém sabe quem das famílias é da Africa. 

Você brasileiro com origens, asiáticas e europeias pode até saber quem da sua família foi de navio pro Brasil, mas no caso dos negros essa é uma estrada que acaba sem na verdade chegar ao fim, não dá pra chegar no ancestral africano, agora nesse mundo moderno em que vivemos com rastreamentos através do DNA quem sabe um dia seja possível descobrir, mas com mais 300 anos de trafico de negros do continente mãe pro Brasil não acho que seja uma tarefa fácil, e sinceramente, não é importante pra mim saber. 

Outra característica essa referente ao homens especificamente, e que chegou a me assustar é a forma indiscreta com que eles se aproximam das mulheres. Quando eu finalmente e cheguei "de cabelo novo" eu quase tive que sair correndo um dos homens casados de lá passou as 3 horas de trabalho dele me pedindo meu telefone, primeiro como brincadeira, depois mais e mais até que eu percebi que não era brincadeira né, eu simpática que só, parei de falar com ele por 3 dias, ele nunca mais pediu meu número e até o dia em que saí de lá só falávamos o essencial.

Agora a respeito das mulheres, a invejinha rola solta hein minha gente. Eu tinha dito pra menina africana com a qual passava o tempo junto que iria mudar o cabelo, eu disse isso na quinta, quando consegui marcar horário, na sexta ela apareceu lá com um aplique, e na semana seguinte, quando meu cabelo diferente virou assunto ela fez mais algumas mudanças no dela. As africanos por aqui usam muito peruca, não sei por que, mas acho que é uma solução menos complicada e mais barata também, já no Brasil nós estamos pra lá de acostumados com processos químicos, que apesar de mais caros são mais duradouros né, e eu fui em um excelente cabeleireiro brasileiro, pelo que eu reparei os comentários dela, ela estava esperando eu lavar o cabelo e ele voltar a ser o que estava antes. No way baby, no way.

Além disso as pessoas com as quais eu trabalhei faziam de tudo pra passar o serviço pro outros e lógico ficar de papo pro ar jogando conversa fora.

Prefiro muito mais minhas raízes brasileiras viu.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

2 meses com 2 empregos

Pois é entre os dias 29/06 e 31/08 eu tive dois empregos, foi puxado, foi loucura, mas tive minhas recompensas.

Tenho uma amiga que gosta muito de detalhes, então em homenagem a ela vou tentar contar todos.

Tudo começou num domingo, dia 24/06, eu estava em uma festa junina e meu ex-housemante me ligou, dizendo que a atual housemate dele precisava de alguém pra substitui-la por um dia em uma café, tudo acertado, no dia seguinte fui lá e trabalhei três horinhas, peguei o dinheiro e fui pra casa. Nos dias seguintes consegui mais duas faxinas e comecei a ter esperanças, se conseguisse alguns extras de 3 horas por dia mais o meu salário no B&B já seria suficiente pra quem sabe até renovar o visto, ou fazer uma viagem das melhores, nessa época eu já tinha uma faxina extra além do meu trabalho. Pois bem, na quarta-feira da mesma semana ele me ligou novamente, dizendo que no lugar onde ele trabalhava estava precisando de pessoas pra começar o mais rápido possível, como eu trabalho apenas de manhã e essa vaga era pra trabalhar das 17h às 20h, me caiu como uma luva.

Na sexta-feira me encontrei com ele em frente ao Trinity College e ele me explicou algumas coisas enquanto esperávamos o ônibus pra UCD uma universidade aqui de Dublin, a vaga era pra trabalhar de Catering Assistant no restaurante de lá. E aí como foi a entrevista você me pergunta, não teve entrevista, essa é a beleza de ser indicado pra uma vaga, cheguei lá, preenchi um formulário com informações pessoais e dados bancários, me entregaram o uniforme e pediram pra uma pessoa me ajudar, me mostrar como era o trabalho.

Inicialmente era pra trabalhar um mês, quando esse mês foi acabando me pediram pra ir mais 2 semanas, e depois continuar indo. Até que dia 31/08  foi meu último dia, rolou até uma caixa de bombons na despedida.  Na verdade o restaurante está mudando de mão e a mudança começou no dia 03/09, eles ofereceram pra todos os funcionários mais algumas semanas de trabalho, pros mais novos mais 2 semanas e pros mais antigos 1 mês, mas eu tinha um visitante chegando no dia 03/09 e já tinha pedido folga do meu outro trabalho, então decidi não continuar. Sim, seria uma grana que faria diferença, sempre faz, por pouco que seja, mas eu senti que meu período lá já tinha se esgotado, já estava sem paciência e principalmente bem cansada.

O resultado desses tempo em que trabalhei mais que cavalo de padeiro é, renovarei meu visto, fico mais um tempo por aqui, não sei se será mais um ano completo, mas eu fico, para alegria do povo e felicidade da nação.

Meu agradecimento especial e sincero ao meu ex-housemante Rodrigo Sousa que lembrou que eu estava desesperada e precisando de trabalho e me indicou, se não tivesse conseguido esse trabalho por esse tempo não se se seria possível renovar o visto.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Uma cidade invadida

Crise na Europa? Sei onde isso tá acontecendo não viu. Por que com crise ou sei crise o povo continua viajando, e mandando seus filhos adolescentes estudar línguas em outros países.

Mas como você sabe disso? Sabendo :p

Eu tenho dois trabalhos (sim, dois. Assunto pra outro post) e nos dois eu "lido" com estrangeiros invadindo Dublin, pelo menos assim tem sido desde o início de Julho e pelo que parece vai continuar até meados de Setembro.

Como eu disse trabalho em um Bed and Breakfast, e pela comparação que posso fazer com os meses de Maio e Junho, os meses de Julho e Agosto são mesmo muito agitados, alguns dias em Julho pessoas tocavam a campainha e procurando acomodação e simplesmente não tinham quartos livres, nem lá e nem nos outros B&B da vizinhança e olha que a rua é cheio deles e ainda tem um hotel grande. Então o fato é, europeus continuam viajando, mesmo que seja pra tomar chuva durante o verão irlandês.

No meu segundo trabalho tive contato com adolescentes estrangeiros, na maioria espanhóis e italianos que vieram estudar inglês durante as férias escolares. Ou seja os países mais "afetados" pela crise mandando seus jovenzinhos mal educados pra passar 4 semanas no exterior.

Durante esses meses foi a primeira vez que eu ouvi pessoas falando alto dentro da Pennys e não estavam falando em português, acho que é coisa latina falar alto, o povo se grita dentro das lojas. Além dos jovens vi muitos grupos de idosos pela cidade e turistas em geral, logicamente grupos de orientais. No fim de semana de St. Patrick's a cidade também ficou cheia, mas foi só um fim de semana né, agora já faz 2 meses que esse povo tá por aqui, ok ok não posso reclamar, essa invasão me trouxe boas recompensas.

É fácil identificar os jovens estrangeiros estudantes de inglês, mochilinhas iguais sempre em bando.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Go Call

Pois é quando eu fiz o post anterior não sabia o valor de ligação para o Brasil pela minha nova operadora a 3, mas eu sabia que tinha um "esqueminha" de ligar pra um número e depois completar a ligação. 

Esse esqueminha na verdade é um serviço exclusivo da 3 para seus clientes, o Go Call.

O tal esquema é o seguinte, você liga para o Go Call ouve uma gravação instrutiva bem rápida e daí faz a ligação pro Brasil, colocando todos os números, código do país, da cidade e finalmente o número fixo ou celular, sem é claro esquecer de antes de tudo colocar o "00". Mas é um número só pra qualquer país do mundo? É o mesmo número pra fixo e celular? Não, pra cada país existe um número diferente ou melhor dois números diferentes pois é um número para fixo e um para celular, mas é só gravar os números na agenda que está de boa né. 

Mas o mais importante é que o valor das ligações são mais baratos que os valores da Vodafone ( 9c fixo 25c celular). Pela 3 através do Go Call o valor da ligação pra fixo fica em 5c pra fixo e 18c pra celular, isso além de todas as outras vantagens que já postei aqui

Ainda estou achando que estou no lucro.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Operadoras de Celular

Se você é brasileiro e vem pra Dublin, é quase certeza que vai comprar um celular da Vodafone. Pelo simples fato de que é a operadora que todos os brasileiros usam, e como dá pra falar de graça entre os números da mesma operadoras e o custo de ligação pro Brasil é de 9c pra fixo e 25c pra celular, pra que comprar de outra não é mesmo? por que verdade seja dita, por maior que seja a sua vontade de ficar longe dos brasileiros, você não vai conseguir e é com eles que vai conversar e trocar muitas mensagens. Lembrando que é necessário fazer uma recarga de €20.00 a cada 30 dias pra conseguir manter a "promoção".
Pra usar a internet na Vodafone a recarga mínima é de €25.00/mês e te dá 150MB ou €30.00 pra ter 500MB/mês.

Depois que chega aqui você descobre os chip do TESCO que oferece as mesmas mamatas que a Vodafone pra ligações e SMS entre os números da operadora, mas tem a vantagem de ter um custo de ligação de 1c por minuto pra fixo no Brasil e 14c por minuto pra celular, o que acontece muito é que muita gente tem chips de ambas as operadoras, uma pra falar com pessoas daqui e outro pra conversar com a família/ amigos no Brasil. O chip do TESCO tem ainda a vantagem de nas recargas a partir de € 10.00 você recebe o mesmo valor em bonus, ou seja, a galera ama e fala horas.
Usar a internet na TESCO eu realmente não sei quanto custa, as pessoas compram geralmente o chip com o aparelho mais barato apenas por causa das ligações internacionais.
TESCO é antes de tudo uma rede de supermercados, por isso mesmo é fácil fácil adquirir o chip e fazer a recarga já que você com certeza vai no mercado algumas vezes por mês.

Mas existem outras alternativas, eu mesma mudei de operadora, de Vodafone pra Three (3), isso por que eu resolvi depois de quase 5 anos com o mesmo celular, comprar um smartphone, e eu admito sem vergonha alguma que sou viciada em internet, e a grande vantagem da 3 é justamente o fato que mesmo tendo um plano pré pago ( pay as you go), com a recarga de apenas €20.00 por mês eu tenho: ligações e mensagens grátis para telefones da 3, mensagens grátis pra qualquer operadora todos os dias, ligacões grátis pra outras operadoras aos finais de semana e posso consumir o quanto quiser de data (dados/ internet), como algumas amigas já tinham mudado e analisando bem eu vi vantagem, mudei também. E daí você me pergunta sobre o custo de ligação pro Brasil, eu não sei, falo com minha mãe quase diariamente pelo Skype, então pra mim a ligação ser barata ou não não é algo que faça muita diferença, uso os créditos mais pra falar com minha avó paterna com quem eu só consigo falar por telefone mesmo, e ainda assim são ligações só mesmo pra ela saber que está tudo ok comigo, que eu estou comendo e trabalhando. Ou seja, coisa de 5 minutos toda semana e como hoje em dia todo mundo usa celular mais pra mandar SMS do que pra conversar...to no lucro.


Além dessas operadoras citadas ainda temos Meteor e O2, mas não tenho informações sobre elas, já ouvi falarem bem da O2, o lance é pesquisar.

Ah só uma curiosidade, quando for recarregar seu celular não diga que quer colocar créditos e sim que quer fazer um top up. Essa é uma daquelas coisas que até dá pra traduzir ao pé da letra mas que pra eles não faria o mesmo sentido que faz pra nós.

sábado, 14 de julho de 2012

E as novidades?

Todo mundo pergunta, e agora eu tenho algumas pra contar...

Julho começou e na primeira semana eu me mudei de casa, desde Maio quando meus housemates brasileiros tinham se mudado eu só tive estress com a antiga casa, que apesar de ser relativamente boa, perto do centro e eu ter um quarto só pra mim, já não atendia mais as minhas necessidades, fiquei algum tempo procurando, mas preferi achar um lugar pra começar desde o início de mês, a espera valeu a pena pois achei um lugar bem pertinho do meu trabalho, casa maior, quarto maior só pra mim e aluguel mais barato. Um tantinho longe do centro, mas não há nenhum mal nisso uma vez que tem todas as amenidades necessárias aqui perto e se precisar ir ao centro ônibus é que não falta.


Também mudei de celular e de operadora apesar de ter mantido o mesmo número (merece um post), além disso estou trabalhando loucamente, de duas uma, ou renovo meu visto ou vou fazer um belo mochilão em Setembro/Outubro, mas o que vai ser, ainda não sei com certeza.

No fim, nem são tantas novidades assim, mas é melhor que nada né. Durmo cansada e feliz e em paz todas as noites, isso é o que importa.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Irish Breakfast

Eu relutei, relutei e quando a Vivi veio não teve mais como adiar, ela precisava experimentar, e eu que ainda não tinha provado também. Irish Breakfast é meu novo vício. E eu que achava que iria odiar. Eu que dizia essa gente é louca de comer feijão (meio doce) e baicon no café da manhã, onde já se viu?

Feijão, baicon, tomate, cogumelos e linguiça "yummy"

Feijão, baicon, tomate, cogumelos, linguiça, ovo e black pudding (não sou fão desse último)


Eu vi, provei, viciei. Não tem como explicar o porque essa combinação é boa, mas é, e acompanhada de chá com leite, melhor ainda.

terça-feira, 12 de junho de 2012

A visita da Vivi

Meus amigos  no Facebook não aguentavam mais ler sobre a minha visitante que estava pra chegar.

Assim que decidi fazer intercâmbio contei pra algumas pessoas mais próximas, uma delas foi a Vivi, minha amiga de infância, que tem "um que" de prima, o bom é que não é parente por isso não tenho que tolerar e sim tenho o prazer de manter em minha vida, nós literalmente crescemos juntas, temos fotos nossas e com nossos irmãos (ela tem 4 eu só 1) desde bem pequenos, enfim, quando anunciei que viria pra Dublin ela logo disse que  então já sabia onde iria passar as férias de 2012. Isso foi lá em meados de 2010.

E ela veio, e passou 3 semanas aqui, a melhor parte de tudo foi ter alguém com quem conversar, ou apenas ficar cada um no seu laptop, conversando com outras pessoas, ter companhia, coisa que eu não sabia que estava sentindo tanta falta.

Nós também fizemos alguns poucos passeios aqui pela Irlanda, o fato de que ter começado a trabalhar apenas uma semana antes da chegada dela não ajudou muito. Mas eu a apresentei a alguns amigos, e como ela é de se enturmar super fácil saiu com eles algumas vezes em que eu estava trabalhando. Meus planos eram bem outros, mas eu não tinha lido o roteiro da minha vida em Dublin, então não sabia que as coisas estariam como estavam, mas no fim das contas ela me disse que aproveitou muito e que as férias foram inesquecíveis, pra mim foram três semanas muito prazerosas e a vontade de Brasil só fez aumentar.

Em frente ao Wax Museum +

Merrion Square Park

Henry Street a caminho da Old Jameson Distillery

Old Jameson Distillery

St. Stephans Green Park

Dublin City Soul Festival - Merrion Square Park

Malahide


A Caminho do Malahide Castle

Cliff of Moher

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Um trabalho para Karina


Enfim consegui um trabalho definitivo. Hoje faz exatamente um mês que comecei. Agora sou housekeeper em um Bed and Breakfast, que e o equivalente a uma pousada no Brasil.


O trabalho e corrido, não chega a ser pesado, subo e desço escadas a manhã toda, o que me faz economizar com academia, por que o bumbum e as coxas estas ficando malhadinhas, e também me faz perder o peso que não tenho.

Ter um trabalho além de trazer tranquilidade quanto ao próximo aluguel também traz a possibilidade de fazer um mochilão antes de voltar pro Brasil, ou renovar o visto, difícil decidir. O importante é ter algo que me pague as contas, me leve ao cinema e a um restaurante diferente vez ou outra. Depois que comecei  a trabalhar também decidi viajar mais pela Irlanda, por que (se) voltar pra Brasil depois de 1 ano conhecendo meia dúzia de cidades desse país que nem é grande seria absurdo.

O amor ao dinheiro é a origem de todos os males, então, vamos gastá-lo bem.

domingo, 27 de maio de 2012

Não sei se vou ou se fico

Essa é a verdade, eu não sei mesmo, poderia dizer que cada dia penso uma coisa, mas a verdade é que a cada dia penso em diversas versões de ir ou de ficar. E ir não é exatamente pro Brasil.

E depois de mais de 7 meses fora do Brasil o que me dá é uma imensa preguiça em pensar a voltar por lá, não eu não sou anti patriota, mas eu quero morar em um lugar onde eu não dependa de carro, onde eu não morra de calor ao ar livre ou congelada pelo ar condicionado, onde eu possa conhecer pessoas e sair com mais frequência e ainda ter um emprego que me pague o suficiente pra eu poder viajar mas do que apenas nas minhas férias. Sim eu sou exigente, mas quem não é?

Por outro lado eu não sei se quero ficar aqui na Irlanda por mais tempo, alguns dias estou tão cansada, e com tanta saudades de todo mundo que não está aqui que preciso segurar o impulso de ligar pra cia aérea e remarcar minha passagem pra daqui uma semana.

É, além de exigente tenho essas frescuras, no momento não tenho grandes reclamações a fazer a respeito de nada, as coisas na minha vida aqui estão bem, mas mesmo assim não consigo decidir se fico ou se vou.

sábado, 19 de maio de 2012

Acabooouooou

No dia 04/05 foi meu ultimo dia de aulas na escola. Ai que estranho, principalmente por que você para de estudar e todos os seus colegas de classe continuam, não e como na escola ou na faculdade.

O mais importante dessas 26 semanas estudando 15 horas a cada semana e saber sem sombra de duvidas que me inglês realmente melhorou. Pude sentir isso aos pouco ao longo desse tempo e principalmente quando optei não mudar de nível pra melhorar minha escrita, percebi que tinha realmente fixado o conteúdo aprendido e semana apos semana vi minha escrita melhorar e melhorar, houve ate uma ocasião em que fui a melhor em sala.

Meu curso era muito focado no exame de Cambridge, que atesta o nível de inglês do estudante estrangeiro, eu gostava muito, muita gente reclama por que tem muita gramatica, mas pra mim estava perfeito e o curso era bem balanceado, alem disso a escola tem avaliacoes semanais e assim tanto o aluno quanto o professor podem saber se esta realmente acontecendo uma evolucao ou não. As quatro habilidades são trabalhadas todas as semanas, pra mim foi um curso bem balanceado e fico feliz por ter investido meu dinheiro na escola.

Nesse período estudei com pessoas de muitos países diferentes, entre eles: Espanha, Itália, Franca, Polônia, Argentina, Chile, Venezuela, México, Vietina, Tailândia, Japão e Coreia do Sul, alem de brasileiros, isso e enriquecedor demais, por que sempre existe aquela troca cultural, sempre existe o momento em que você pergunta como e isso ou aquilo no pais da pessoa que esta do seu lado e algumas vezes as respostas são surpreendentes.

Agora vem a parte complicada do intercâmbio, trabalhar e conseguir algum dinheiro pra fazer viagens antes de voltar pro Brasil. Eu ainda não tenho uma definicao concreta sobre voltar definitivamente ou não. Tenho a opcao de renovar meu visto, mas passei tanto tempo pensando que teria que ir embora, mesmo antes do vencimento dos visto que agora não consigo decidir se quero ou não ficar mais tempo aqui. Enfim, o objetivo principal que era melhorar o inglês foi alcançado, não eu não estou fluente, mas falo muito melhor e com muito mais segurança do que quando cheguei, escrevo melhor e entendo praticamente 100% do que ouço então tenho plenos motivo para me sentir satisfeita com a escolha que fiz.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Eu não tenho culpa

Meu amor por Dublin e pela Irlanda já foi manifestado aqui diversas vezes, e esse é um dos motivos ue me faz escrever esse post. Difíceis decisões precisam ser tomadas em um curto espaço de tempo.

Minha vida aqui está por um fio, ou eu consigo algo que me pague minhas contas ou antes do início oficial do verão eu volto pro Brasil, mas eu não quero, quero ficar aqui, entrar em vários aviões e conhecer várias terras/ culturas/ pessoas/ cheiros/ sabores novos. Eu quero novidades, mas na vida não se tem tudo, não sou eu quem faz as regras só as sigo, por mais complexas e injustas que elas sejam. 

Eu queria que fosse CULPA minha o fato de ter que voltar, se eu nunca tivesse saído pra procurar emprego, nunca tivesse ido em uma entrevista, tivesse me recusado a fazer faxina ou cuidar de criança, eu saberia que a culpa é minha e de mais ninguém, mas a culpa não é minha, é da recessão e apesar dela eu escolhi vir pra cá, e vim e nunca vou dizer que me arrependo. 

Como eu posso me arrepender de ter feito meu caminho até aqui, de conhecer as pessoas que conheci, de fazer as poucas viagens que fiz, de rir com quem eu ri, de beber (e aprender a beber) com quem eu bebi. Até aqui essa é a experiência mais extraordinária que eu já tive na vida, o que atrapalha o brilho dessa fato é s'a falta de uma renda estável.

Pra quem me pergunta se eu acho que vale a pena, sim, e como, mas esteja ciente que a vida é um livro sendo escrito a cada segundo, não há como prever o que está por vir, então aproveite, aproveite as pessoas, os cheiros, os sabores as paisagens, os dias de sol e os de chuva, você vai querer se lembrar de cada um deles.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Eu no E-Dublin (twice)

Não, eu não fiquei tão famosa assim a ponto de me pedirem entrevista. Ok que a Lívia (brasileira que estuda na mesma escola e agora na mesma sala que eu) me reconheceu depois da entrevista para o Vida na Irlanda. 

Acontece que como já disse aqui muitas vezes participo do grupo de discussões do e-dublin, e um dia um tópico de discussões era sobre quanto tempo ficar aqui na terrinha verde, dei minha opinião e a Ávany que é colaboradora do site gostou e me pediu pra falar mais sobre o assunto. Essa foi a primeira vez que apareci por lá.

Na segunda vez eu não apareci (não tem minha foto "so sad") mas minhas palavras estão na matéria, e atribuídas a mim. Minha amiga Elaine que é jornalista e também colaboradora do site escreveu uma reportagem sobre o custo de vida pra um intercâmbista, como eu sou administradora e já havia comentado com ela sobre a maneira que controlo minhas despesas ela achou interessante incluir minha opinião na matéria. É claro que não teve foto por que né, toda hora essa menina nesse site agora, não tem mais gente pra entrevistar não?

Então é isso. Confiram:

e

terça-feira, 17 de abril de 2012

E 6 meses se passaram

Pois é gente amiga, faz seis meses que pisei pela primeira vez nessa terrinha de vento e chuva.

O tempo passou tão rápido, dizer que muita coisa aconteceu é pouco, mas as coisas acontecem tão rápido e tão sequencialmente que não dá pra enumerar.

Com certeza fiz bons amigos, pessoas com as quais desejo manter amizade por muitos anos, e com as quais vou poder conversar sobre essa experiência sem medo e vergonha.

Sinto falta de muitas coisas do Brasil, amigos que lá ficaram, família, cachorros, e comida. Essa semana dei pra sentir falta de comida. Cachorro quente, pastel, esphira etc.

Meu futuro em terras celtas é incerto, só tenho duas certeza, minhas aulas terminam dia 04/05 e  Vivi chega dia 16/05 pra passar 3 semanas por aqui. Depois disso não sei de mais nada. Seja o que tiver que ser.

Até aqui foi tudo ótimo.

terça-feira, 10 de abril de 2012

The F* word

Tem dias que a maior vontade que eu tenho é de usar um FUCK YOU em letras garrafais pra certas pessoas. Isso geralmente acontece quando eu faço anúncios procurando trabalhos no gumtree. Esse é um site de anúncios grátis, dá pra anunciar muita coisa, mas eu só me interesso pelas vagas de trabalho.

Há algum tempo atrás eu usei o site pra me oferecer como cleaner e nanny, as únicas respostas que recebi foram de homens querendo "uma massagem sensual" é claro que tem aqueles que vão logo ao ponto e dizem que pagam bem pra ter sexo.

Isso dá uma baixado no astral sem fim, você está ali se oferecendo pra trabalhar e vem fulano desocupado te tratando como prostituta, se essa fosse minha intenção eu deixaria claro, mas não é, nunca foi e jamais será. Eu tenho minha passagem de volta comprada e paga, não preciso e nem quero trocar sexo por dinheiro.

Pois bem, o último idiota a merecer mas não ouvir um FUCK YOU foi um "senhor" que entrou em contato comigo através de um site exclusivamente pra pessoas que querem um trabalho de cleaner ou precisam de uma cleaner. O site é claro, o nome do site é claro, é para serviços de limpeza. O fulano entrou em contato comigo dizendo que logo iria se mudar de apartamento e iria precisar de alguém pra limpar. Ok, fiquei com o telefone dele e ele com o meu, e daí que se passaram duas semanas e nada dele ligar, entrei em contato perguntando se ele ainda iria precisar de uma cleaner e quando. Ele me liga dizendo que a ainda não tinha mudado e que a última cleaner dele tinha deixado a casa bem limpa, então no momento não precisaria de cleaner, mas que ele poderia me oferecer um outro serviço, que ele precisava fazer algumas coisas no computador e não tinha tempo. Como eu estava no correio e estava meio barulhento combinei de mandar meu e-mail pra ele e ele me explicaria o que era exatamente o trabalho. Só pra vocês não dizerem "ai que bobinha" um cara me pagou pra arquivar recibos, passei 2 horas e meia arquivando papéis enquanto ele fingia que trabalhava no computador.

Pois bem, lá vem o e-mail e ele me pergunta que tipo de serviços eu faço. com a pulga atrás da orelha respondi pedindo pra ele me explicar o que ele queria, que eu tinha entendido que era algo no computador. Ele me liga e começa a dizer que está com alguns problemas no computador e que precisa de ajuda por que não sabe mexer, que toda vez que inicia o computador aparecem fotos pornográficas ¬ ¬. Deixei ele falar, o maldito chegou a se oferecer pra mandar as fotos pra mim, pra eu ver se poderia ajudar, eu "inocentemente" respondi que não, por que se fosse um vírus no computador dele poderia passar pro meu. Olha me fiz de burra ao extremo e ele muito dissimulado também se fez. Assim que desliguei mandei uma mensagem dizendo que não era prostituta e se era esse o interesse dele, favor não me ligar novamente. Eu não sei como as prostitutas daqui trabalham, mas tenho certeza que eles não colocam anuncio em site de limpeza nem cobram tão barato quanto eu. 

Haja paciência.


terça-feira, 3 de abril de 2012

Odd Weather

Na semana passada, começando no sábado dia 24/03, uma "onda de calor" passou pela Irlanda, e o fenômeno "Todo Mundo Deitado na Grama" pode ser visto em qualquer lugar do país, ainda bem que grama aqui é o que não falta.

Flores, o símbolo da primavera - Pheonix Park

Veados - Pheonix Park


Colin e seu instrumento musical.

Gente, sim, fez calor em Dublin. E foram dias agradabilíssimos, acordar e ver o sol, e ver como essa cidade fica ainda mais linda ensolarada, ah realmente não tem preço. Pois bem no dito fim de semana eu fui a dois parques diferentes, pra fazer a mesma coisa, picnic e deitar na grama.

Como eu sou uma pessoa que desconfia de previsões do tempo saí de casa mais agasalhada do que necessário, por que né, você olha no site de previsão do tempo e lá diz que está fazendo 15 graus, eu brasileira, paulista do interior, penso logo que isso não é quente. Mas olha que por aqui é viu. Deu pra me desfazer de alguns casacos. 
Rumo ao parque em mais um dia de sol.

A temperatura "alta" durou até quinta-feira, na sexta voltamos com a programação normal, num dia chove no outro também, e faz frio nos dois.

E hoje qual é a nossa surpresa quando acordamos com chuva batendo na janela, e de repente, não mais que de repente, lá vem o sempre bem vindo sol, mais algumas horas, a chuva, muito gelada está de volta e agora, em alguns lugares da cidade (menos onde eu moro) está NEVANDO, isso mesmo minha gente, neve, na primavera, em Abril. Mano, sacanagem, agora que eu estava feliz com o calor de 19 graus que chegou a fazer, esfria tudo de novo e NEVA!?

O fato é que hoje meu professor veio com a desinteressante informação de que a última vez em que fez tanto calor em um mês de Março na Irlanda foi em 1965 e foram procurar dados pra ver se o verão tinha sido agradável, e a resposta é não, não foi.

É negada, vamos tirar as luvas, gorros e cachecóis das gavetas que teremos que usá-los novamente.

sexta-feira, 23 de março de 2012

St. Patrick's Day

Na verdade foi um fim de semana em torno dessa festa. O St. Patrick's Day é comemorado em 17 de Março e como nesse ano a festa caiu em um sábado, as comemorações começaram já na sexta-feira e só terminaram na segunda.

Na sexta à noite fui com alguns amigos a um pub em um encontro do Couch Surfing, estava mais cheio que nunca e contou com vário turistas além dos tradicionais participante moradores de Dublin, a cidade estava efervescente, todo mundo animado para o desfile no dia seguinte.

Então no sábado acordei cedo, me arrumei cm vários adereços verdes e segui rumo ao centro com a Cyntia, lá nos encontramos com a Elaine e fomos ver o desfile no mesmo pub da noite anterior, por ser em um das principais ruas da cidade e ter janelas grandes, vimos o desfile sem empurra-empurra e no quentinho do pub, já que na rua não estava fazendo mais do que 7 graus. 




O desfile é uma mistura de 7 de Setembro com carnaval de rua com poucos recursos, mas é interessante de se ver. Pelo menos uma vez na vida. O que é interessante mesmo é ver todos nas ruas vestido de verde, se divertindo civilizadamente. Mesmo sendo uma data onde as pessoas bebem demais e o único dia quem que se pode beber na rua ( na área do Templo Bar apenas) não vi nenhuma briga, nenhum ato de violência, nenhum homem puxando mulher pelo cabelo, nenhum casal brigando. E olha que em qualquer festa de formatura a gente vê isso hein. Aqui, em uma cidade de um pouco mais de 1 milhão de habitantes, lotada de turista, nada. Não quer dizer que não aconteceu, mas eu não vi e nem ouvi relatos.




Depois do desfile compramos um lanche no Burger King e fomos comer no St. Stephans Green Park, de lá fomos para o Temple Bar. A área do Temple Bar é a melhor pra se ficar, além de dar pra beber na rua, o que significa comprar cerveja no mercado e colocar na mochila, fica bem cheia de gente exótica e animada, e ainda se quiser enfrentar um pub, terá várias opções.




Saí de casa ainda de manhã e voltei bem no fim da noite, troquei de amigos algumas vezes durante o dia e me diverti a valer.

No domingo rolou um picnic mais uma vez organizado pelo pessoal do Couch Surfing, e lá fui eu de novo pro St. Stephans Green Park, sentar na grama e aproveitar a tarde de sol. Muita gente teve a mesma ideia e eu adorei passar uma tarde jogando conversa fora deitada na grama.



Na segunda foi feriado, então nada de escola, só recuperar as energias gastas no animado fim de semana.

quinta-feira, 15 de março de 2012

O Tamanho do Passo

Vir pra Dublin teve como principal objetivo estudar inglês. É claro que as viagens pela Europa e a possibilidade de trabalhar (e ganhar em euros) também são atrativas. Mas o principal motivo foi e continua sendo o inglês.

Quase cinco meses depois eu estou no nível Upper Intermmediate, o que provavelmente seria avançado no Brasil, todos dizem que meu inglês é bom, essa semana foi a última do livro que vinhamos seguindo desde Janeiro e meu professor sugeriu que eu fosse pro Advanced, mas eu pensei bem e resolvi continuar no nível que estou. Por que (sua louca) você me pergunta, se seu professor disse pra ir, vá. Mas eu sei qual é a minha principal fraqueza. A escrita. Eu escrevo muito mal em inglês, e no nível avançado gramática e vocabulário não são tão trabalhados quanto no nível em que estou.

Eu seria, e saberia disso, uma falsa aluna do avançado, se eu tivesse mais confiança na hora de escrever não pensaria duas vezes, mas ainda não tenho. Eu posso mentir pra outros, ser dessas que passa 3 anos "estudando" e não consegue formular uma frase decentemente, mas pra mim mesma eu não posso mentir, e principalmente, não quero passar vergonha posando de AVANÇADONA sem ser. Então continuarei onde estou, consciente de qual é minha fraqueza e tentando me livrar dela. Melhor do que tentar dar um passo maior que a perna e dar com a cara no chão.

terça-feira, 13 de março de 2012

O que (realmente) faz falta

Eu já disse aqui e vou continuar dizendo até deixar de ser verdade (nunca) eu amo minha vida em Dublin. É sim, melhor do que eu imaginava, morar "sozinha", pagar aluguel, ralar, economizar, nada disso me assusta ou desestimula, eu gosto.

Mas, e sempre tem uma mas, eu sinto falta de coisas do Brasil, sim de coisas e pessoas, não sinto falta do país,  pelo menos não até agora. O que mas me faz falta são as pessoas, meu amigos e minha família. Também sinto falta das minha cachorras, da Kenny nunca mais vou matar a saudade. Comida faz falta também, mas não é todo dia nem toda hora que penso em comida, mas as vezes do nada dá uma vontade louca de comer escondidinho de carne seca, ou o pão caseiro da minha tia, a feijoada do sogro do meu irmão e assim por diante.

Porém em um ponto eu tenho que ser honesta, sinto falta de ter cachorros, durante toda a minha vida nós sempre tivemos cachorros, só uma vez tivemos uma gata, mas eu gosto mesmo é de cachorro, e ficar esse tempo todo sem contato com um cão me faz falta, eu vejo cachorros pelas ruas com seu donos todos os dias, mas nunca se sabe se o bicho é bonzinho ou feroz então não ouso passar a mão, mas fico "aguada" de vontade. Pode parecer insensível falar mais de bicho do que de gente, mas eu falo com a minha mãe todos os dias pelo Skype, posso falar com meus amigos por telefone, mas com animais o contato é outro e só vale quando é real, o virtual não ajuda nessas horas. Infelizmente.