segunda-feira, 17 de junho de 2013

Fomos pra Rua #changeBrazil

Na noite de quinta-feira um dos meu amigos compartilhou em uma conversa no Skype o link da Globo News transmitindo o protesto nas ruas de São Paulo, em pouco tempo choque e incredulidade tomaram conta de mim. Não podia ser aquilo, polícia atirando em manisfestantes ajoelhados e de braços erguidos? Polícia bloqueando a Paulista pra que os manifestantes não bloqueasse a Paulista!?? Tinha que ir trabalhar super cedo no dia seguinte, e eu não tenho um trabalho lá tranquilo, onde eu posso fingir que trabalho enquanto recupero as forças gastas em uma noite mal dormida. Mesmo assim dormi mal. 

No dia seguinte, quando tive a chance li, vi, ouvi tudo a respeito do desfecho da noite anterior. Pra quem não sabe existe uma diferença de 4 horas entre os fusos Irlandês e Brasileiro, por isso, enquanto lá eram 7 da noite aqui já eram 11. Eu nem sei expressar tudo que senti, a cada vídeo, a cada texto, a cada foto. Só sei que se eu estivesse no Brasil, em São Paulo, eu teria garantido a minha presença no próximo protesto, mas eu estou longe, o que fazer? Eu tenho o grupo de amigos certos, e todo mundo estava se sentindo da mesma maneira, na tarde do dia 14/06 um protesto começou a ser organizado, houve uma reunião pra definir como seria esse protesto. A intenção inicial era marchar pelas ruas centrais de Dublin, mas em conversa com a Garda (polícia Irlandesa)  ficou decidido que ficaríamos parados no "canteiro central" da O'Connell Street próximos ao Spire no Domingo 16/06. E assim o fizemos.

Haviam cerca de 3.000 pessoas confirmadas no evento que foi marcado pra começar as 13h, cheguei lá 10 minutos depois desse horário e tive a grata surpresa de perceber que muita gente, deixou o estilo brasileiro de chegar atrasado de lado, já tinha uma galera bem significativa por lá, e a multidão verde-amarela continuou a crescer até chegar a quase 2 mil pessoas. Foi lindo de ver que nós brasileiros nos unimos sim por uma causa que não seja futebol. Levantamos das cadeiras, saímos do Facebook e fomos pra rua, protestar, por um país melhor, mais justo, mais digno, menos violento e com mais respeito. Chega, não dá mais, os vinte centavos de Real foram apenas a gota d'água que faltava pingar. 

Pingou.

Acordamos furiosos.

Foto by Daniel Sandes



Muitas outras fotos incríveis nesse álbum do E-Dublin


sexta-feira, 14 de junho de 2013

Cuidando dos Cabelos em Dublin: Com Luciano Salkw

Antes de vir pra Dublin eu já fazia relaxamento nos cabelos há uns 9 anos, e em 2011 comecei a complementar com a progressiva. Adoro não ter trabalho com o cabelo depois de lavar, é só secar, passar os produtinhos pra manter os fios hidratados e boa. Não preciso passar horas fazendo escova e chapinha e colocando mil coisas.

Algumas podem dizer que eu poderia usar meu cabelo natural, sim eu poderia, mas não quero. Fiquei um bom tempo sem ter grana pra cuidar dos cabelos, e quanto tive voltei pra minha combinação com um outro cabeleireiro, ótimo, super atencioso, preço super justo.

Quando fui de férias para o Brasil já estava na hora de fazer novamente, e minha mãe arcou com as despesas, eu que não sou boba gostei muito, fui na minha antiga e eterna cabeleireira.

Assim que voltei várias amigas minhas estavam indo cuidar dos cabelos com o Lu, e daí eu fiquei curiosa com a quantidade de elogios, como o início do ano foi de pouco trabalho eu tive que esperar as coisas voltarem ao normal pra poder ir visitá-lo, quando tinha a grana ele estava saindo de férias, quase tive um treco, já estava entrando em desespero com meu cabelo, só consegui marcar pra quase 1 mês depois.

Mas o data chegou e eu fui lá na casa dele. O atendimento é ótimo, o Lu é ótimo e a escova progressiva dele é ótima, ele é super atencioso com a gente e com o cabelo, me perguntou quais produtos eu costumava usar, e mesmo assim fez um teste de resistência e estava o tempo todo controlando o resultado do produto nos fios.

Eu perguntei pro Lu se ele tinha muitas clientes negras, já que tem muita gente que vem no meu blog me perguntar sobre cabeleireiros, ele disse que eu era a quarta cliente negra dele, mas pelo resultado do processo eu posso recomendá-lo até por que o que importa é entender e ter cuidado com o cabelo e isso ele faz.

Antes raízes crescidas de cerca de 5 meses. Depois apenas seco com ajuda da escova.
Tem uma entrevista muito boa do Lu no E-Dublin, cliquei e confira

quarta-feira, 12 de junho de 2013

A importância de ter um Budget

Ai que metida, misturando inglês e português. Eu posso, conheço as duas línguas. 
Pronto, agora que você já me deu um pouco do seu desprezo que refletiu no brilho dos meu olhos e voltou pra você, vamos ao que interessa, vamos falar de tekpix, não de dinheiro, economizar e controlar o seu dinheiro.

Pra quem não sabe eu sou formada em Administração e trabalhei por quase 3 anos em 2 instituições bancárias antes de vir pra Dublin, então eu gosto de falar de dinheiro, e economizar dinheiro, de controlar dinheiro. Sim, eu tenho um problema.

Durante a faculdade foi bem complicado conseguir um estágio, daí eu tinha outros empregos, sempre pouco dinheiro e lógico muito com o que gastar. Foi quando eu comecei a fazer minhas planilhas mensais, como eu sabia o quanto iria ganhar colocava lá na planilha o meu salário mensal, e conforme ia gastando eu sabia o quanto ainda me restava, ou restaria no caso de compras parceladas. Se eu comprasse algo em 4x já jazia as planilhas dos próximos meses e colocava lá o valor da tal parcela.

Pode parecer loucura (e talvez seja) mas foi esse planejamento que me ajudou a me organizar ainda melhor e ser capaz de vir pra Dublin, mesmo não tendo o melhor dos salários.

Aqui em Dublin é ainda mais importante ter esse controle.

Quando você chega tem uma boa quantidade de dinheiro, mas dependendo do sei inglês, da sua sorte e dos seus contatos, pode levar um certo tempo pra conseguir trabalho. Se você ficar numas de que tem grana, e começar a ir pra todas as baladas, comprar em qualquer mercado e marcar 1 viagem por mês, vai estar falido antes mesmo do seu curso acabar. Isso é claro vale para aqueles que não tem os pais mandando quanto dinheiro precisar.

Uma amiga minha me contou que a housemate dela faz a lista de compra de uma maneira diferente, ela faz o cardápio pra cada dia da semana, e assim sabe o que vai comprar no mercado. Achei muito interessante. Eu não faço essa estratégia do cardápio, mas fazer uma lista é essencial, você precisa saber o que tem em casa e o que precisar comprar pra poder se alimentar por 7 dias. Fazer compras mais do que 1x por semana pode ser arriscado, porque você vai e gasta 10 euros e depois 15 euros e ainda não comprou tudo, e provavelmente não sabe o que tem em casa. Por isso eu digo, organize-se.

Depois que começamos a trabalhar a coisa pode fugir ainda mais do controle, até por que você pode ter um emprego com turnos malucos e se não tirar meia hora pra fazer sua lista vai entrar no mercado e comprar muita besteira se valendo da velha frase: ai eu trabalho tanto, mereço comprar isso, e isso, e mais isso e isso também, daí meus queridos, já era.

Ter um budget destinado pra mercado, balada, contas de casa, passeio vai ajudar você a controlar seus gastos e te dar a certeza de que você não vai precisar emprestar dinheiro dos seus amigos pra pagar o aluguel ou alguma conta do mês seguinte por que você se perdeu nas suas contas.

É claro que você vai gastar com bobagem, vai ao mercado mais de 1x na semana, mas ter algo que te ajude a se guiar não vai fazer mal algum.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

O Verão Irlandês

Não, não é uma piada, ele realmente existe, e de vez em quando aparece.

Como dito neste belo post do Vida na Irlanda, o verão por aqui começa oficialmente no May Day. que é a primeira segunda-feira do mês de Maio, e eu bem me lembro que estava muito quente nesse dia viu. Uma delícia, e ainda era feriado.

No dia seguinte, é lógico, já estava frio e chovendo, como sempre. Mas as temperaturas deram uma melhorada ao longo das semanas, a chuvas ficaram menos insistentes até que no June Bank Holiday, o verão realmente veio pra ficar. Os últimos 8 dias foram completamente secos, sem nuvens, pouco vente e acreditem quentes.

Eu já disse pra muita gente, quente aqui é 18-20 graus, e por mais que você diga que isso é gelado lá de onde você vem, por aqui não é. É só depois de morar na Irlanda que a gente entende como sensação térmica é um termo que faz todo sentido. Vinte graus é a temperatura mais desejada por todos nós de países tropicais vivendo em terras celtas. É um calor delicioso, sem ser exagerado e sem ser calor de mentirinha.

Foi bom enquanto durou, todo mundo ficou feliz, queimado e tirou várias fotos com pouca roupa, teve gente que se arriscou a mergulhar no mar, coisa de gente muito corajosa mesmo, eu só molhei meus pezinhos, mas está valendo também :)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Se paga minhas contas não é SUB

Me incomoda demais ver pessoas que ainda não vieram pra Dublin dizendo que vão tentar conseguir qualquer subemprego pra pagar as contas e viajar.

Meus queridos, se um emprego paga suas contas e te ajuda a viajar PELA EUROPA, por que ele merece o termo de subemprego? Alguém considera um garçons um subempregado no Brasil? Não né? Pelo menos não entre as pessoas que eu conheço, o que quer dizer que eu conheço as pessoas certas. 

O problema ainda é que  muita gente acha que ter um curso superior o FAZ superior, e por isso qualquer trabalho que não seja relacionado à sua área de formação não merece o título de emprego e sim de subemprego.

Eu vi um tempo atrás alguém que ainda não tinha vindo pra Irlanda falando indignado que um amigo disse que estava vivendo super bem por aqui, e depois ele descobriu que a pessoa entregava jornal na rua. Meu querido, emprego dos sonhos de intercambista recém chegado é entregar jornal na rua. Trabalha 3 horas por dia, de segunda à sexta, para uma empresa séria que vai te pagar direito. E esse dinheiro normalmente é suficiente pra pagar as contas do mês, e se você consegue esse emprego logo, ainda tem dinheiro guardado e pode viajar nos finais de semana. Não tá bom?

Talvez eu pense assim por que meu pai foi pedreiro até se aposentar, por que minha tia que eu mais amo é empregada doméstica, talvez eu pense assim por que eu tenha vindo de uma classe que é considerada sub, e eu não vejo mal algum em trabalhar e se sustentar com o suor do meu rosto. Eu prefiro ter um emprego que me leve pra viajar do que emprego de grife que mal pague as contas do mês e me obrigue a ter que pagar por um sapato novo em 3x por que não dá pra pagar todas as contas e ainda comprar sapato com o salário do mês.

O que eu faço é diferente de quem eu sou.

Pense novamente, kiridinho


quarta-feira, 5 de junho de 2013

Morar longe centro

Ultimamente tem sido complicado achar acomodação em Dublin, muitas pessoas indignadas nos grupos espalhados pelo Facebook de que tem gente escolhendo demais, exigindo demais pra aceitar novos moradores nas casas/ apartamentos.

O caso é o seguinte. Todo mundo quer morar no centro. Ok eu compreendo, você chegou num país novo, pessoas novas, língua nova, esse frio e essas chuva, você quer economizar com transporte ficando perto da escolas e das facilidades. Compreendo. 

Eu fiquei perto do centro quando cheguei, andava 15 minutos até a escola no começo parecia bastante, depois de 3 semanas era super sossegado, quando via já estava na escola ou de volta em casa. Quando consegui trabalho já tinha terminado as aulas então decidi mudar pra um pouco mais longe, e dei sorte de conseguir uma casa melhor do que a que morava e apenas 7 minutos andando do meu trabalho.

Quando voltei pra escola estava meio quebrada e não queria gastar com ônibus daí o jeito foi usar as perninhas perfeitas que eu tenho e andar, nos primeiros dias levava 50 minutos até a escola no centro, depois de pegar o jeito já fazia o trajeto em 40 minutos, e no fim das contas chegava em casa no mesmo horário que chegaria se estivesse esperando ônibus, por que tem o tempo da espera e o tempo que o bendito leva até o ponto mais próximo de casa. Acabei me acostumando e sempre que estava off do trabalho eu ia a pé pra escola, quando não estava não tinha jeito.

O que eu quero dizer é, andar 30/40/50 minutos pode parecer muito, mas é algo que você se acostuma, eu via muita gente voltando do trabalho a pé, se você usa bicicleta então, melhor ainda, procure casa longe do centro, você pode achar coisa melhor, com estrangeiros e viver Dublin de verdade.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Continue a comprar...

Em um dos meu primeiros posts from Dublin eu falei das comprinhas que tinha feito. Como gastei pouco, como estava impressionada com a possibilidade de gastar pouco, pois é, nunca mais toquei no assunto. Acho que por que me acostumei com o fato de que aqui os preços são dignos, e mesmo que você tenha um emprego de housekeeper, você pode entrar na Zara e comprar o que quiser sem que isso precisar deixar os olhos e um rim.

Ultimamente comecei a investir mais em algumas compras, especialmente maquiagem, sempre tive esse objetivo de comprar mais maquiagem e aqui não é tão caro, também andei comprando mais roupas bonitas por preço de banana.

Venha com o coração aberto pra comprar minha gente, mas tem que se embrenhar nas araras, bater perna, eu não saio ensandecida comprando tudo não, vou em todas eu disse TO-DAS as lojas primeiro, e depois faço o caminho de volta e compro o que gostei e tem preço digno, isso quando não vou pra casa pra pensar, mas sempre volto feliz com minha sacola e publico a foto do Instagram haha.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Trabalhando em um Bed and Breakfast - Parte 2: Recepcionista

Em Fevereiro desse ano lá estava eu na minha rotina de housekeeper quando vi minha chefe fazendo sinal pro marido dela falar comigo. Na hora eu gelei, achei que tinha feito alguma cagada e qua já era "perdeu patricinha" como se eu fosse patricinha, enfim, o que ele queria era me pedir pra trabalhar mais horas, mas não como housekeeper e sim como "recepcionista".

Coloquei entre aspas por que é bem entre aspas  mesmo, eles tinham uma amiga espanhola que fazia isso pra eles, mas ela foi pra Espanha pra fazer uma cirurgia e talvez volte algora em Junho, eles não tinham certeza, e até agora não me disseram nada. 

Na época eu ainda estava na escola, e como estudava à tarde não tinha como ir lá por muitas horas, só conseguia ir mais horas às sextas e as vezes aos sábados.

Lá não tem uma recepção propriamente dita, com a mesinha e plaquinha como em hotéis/ hosteis e alguns B&B's por aí.

Desde o fim das minhas aulas eu tenho ido lá 4 ou 5 vezes por semana por basicamente 3 horas no período da tarde ou começo da noite. O objetivo é ter alguém lá pra esperar os hóspedes que chegam até as 8 da noite, os que chegam mais tarde geralmente fazem self-check-in. Então pra não ficar lá só assistindo tv e bebendo chá a minha chefe geralmente deixa os lençós do manhã pra passar, toalhas na secadora pra dobrar e eu também verifico a mesa de café-da-manhã pra ver se tem cereais, açúcar, chá suficientes. 

Quando eu comecei a ir ainda estávamos no inverno, então em 40 minutos eu fazia tudo e daí ficava só vendo TV, mas no mês de Maio cheguei a ficar 3 horas passando lençol e depois ainda verificar as outras coisas, isso parando pra atender os hóspedes que chegavam.

Coloquei um vídeo no YouTube mostrando como passo os lençóis aqui, mas não tem consigo compartilhar o maledeto, então clique e veja.

O que basicamente faço quando os hóspedes chegam é recebê-los bem, com sorriso, peço pra sentarem na sala de estar, vou verificar o quarto em que estão, daí mostro o cartão do B&B com o endereço e os números dos ônibus que eles tem que pegar pra voltar pra lá se decidirem ir pro centro. Também falo o valor do taxi, por que como o último ônibus é as 23:30 geralmente as pessoas querem voltar mais tarde.

Depois explico que são 3 casas interconectadas, o horário e valor do café-da-manhã (que não é incluso no valor pago quando fazem a reserva), daí levo as pessoas até o (s) quartos (nunca ajudo com as malas, instrução da minha chefe) explico que a chave abre a porta do quarto e a porta da frente da casa também. Digo "Enjoy your saty" and that's it.

Quando os hóspedes perguntam sobre pagamento do quarto eu primeiro dou a opção de pagarem de manhã pra um dos gerentes ou pra minha chefe, mas alguns fazem questão de pagar assim que chegam, então eu recebo, a maioria paga com cartão, então não tem segredo. Só marco no livro quem chegou e se alguém pagou. 

Geralmente se tem apenas uma pessoa pra chegar ou é a última pessoa que tinha  pra chegar e quando chega eu já terminei tudo o que eu tinha que fazer, eu ainda fico lá uns 15 minutos caso a pessoa tenha dúvidas ou queira dicas, daí eu vou embora. 

É algo bem tranquilo de fazer, que ajuda com o inglês. E eu ainda ganho pra isso ;)

sábado, 1 de junho de 2013

A página do Blog no Facebook

Foi com muita relutância que eu resolvi criar uma página do blog no Facebook, simplesmente por que eu acho ridículo esse povo que faz blog ontem e já se acha o rei da cocada preta da sair por aí dando dicas de intercâmbio. Meu blog sempre foi e vai continuar sendo o meu "diarinho" , é sobre meu dia-a-dia, minhas descobertas, minhas reclamações e minha vida em Dublin, meus passeios pela Irlanda e pela Europa.

Os melhores lugares pra achar muitas informações boas, bem pesquisadas e bem escritas sobre intercâmbio continuam sendo o E-Dublin e o Vida na Irlanda, além do E-Dublin Groups,  com esses dois blogs e esse grupo você não precisa de mais nada.

Cedi à ideia de criar a página devido ao número de pessoas, que Deus sabe como, me mandam e-mails pessoais ou me acham no meu Facebook pessoal, eu não adiciono, não adianta. Então pra deixar de ser A CHATA, resolvi fazer a página e vou tentar fazer mais posts aqui também, mas não prometo nada, trabalho é o que não me falta.

Agora se você quer falar comigo, basta curtir a página no Facebook e mandar mensagem por lá :)