domingo, 28 de julho de 2013

Irish Road Trip - De Clifden a Galway

No B&B que ficamos em Clifden o café-da-manhã s;o começava a ser servido as 8;30, então não precisamos acordar muito cedo. Tomamos café e voltamos pro quarto pra pegar as nossas coisas, quando fomos pagar a dona do B&B nos convidou pra voltar pra sala de jantar por que ela iria cantar algumas canções, foi uma cantoria muito bonita.



Depois de se apresentar ela informou que tinha um coral de Suecos e Noruegueses hospedados lá também, e daí foi a vez deles deixarem a nossa manhã ainda mais iluminada.




Depois de muita música pegamos a estrada rumo a Galway. Nossos planos eram de ir pras Aran Island, pra maior, mas quando chegamos em um dos portos pra pegar a balsa descobrimos que próxima seria apenas  à 1 da tarde e a última balsa voltando da ilha era as 5, ou seja contando com o trajeto ficaríamos pouquíssimo tempo por lá, e se contarmos com o fato de que esse passeio custava € 25 por pessoa, decidimos desistir e seguir o resto do caminho até Galway.

Chegando em Galway fomos direto pro B&B pra poder deixar o carro e nossas coisas, mas o dono não estava lá, já que tínhamos marcado que chegaríamos as 8 da noite e era por volta de 1 da tarde. Pois bem, olhamos no mapa e o centro parecia longe, então fomos de carro mesmo. Foi um certo stress pra achar vaga, e acabamos parando em um colégio. Passeamos um pouco pela cidade mas com medo do tal colégio  fechar e o carro, com as malas, ficar trancado lá dentro.

Fomo de novo pro B&B e o dono ainda não tinha chegado. Ligamos pra ele e quando ele chegou um hóspede já tinha aberto a porta pra gente. Ele nos mostrou o quarto e falou do café-da-manhã  e nos explicou como ir pro centro à pé, acontece que estávamos bem perto, uns 10 minutos andando.

Nos arrumamos e fomos pro centro, procuramos um lugar pra comer e depois um lugar pra tomar um pint, acabamos entrando em vários pubs e paramos em um mais turístico mesmo, com banda tocando e de vez em quando uns dançarinos sapateando.




Foi bem gostosinho nosso dia, principalmente porque no caminho até Galway pudemos parar várias vezes já que não tínhamos compromisso com horário e conhecer a cidade não ara uma das nossas prioridades.

Pés na areia. Kind of.

No meio do caminho tinha uma praia deserta

A maré baixou

Deu praia?


Voltamos pro B&B e assim acabou nossa noite.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Irish Road Trip: De Atlhone a Clifden - Kylemore Abbey e Sky Road

Na segunda-feira de manhã saímos de Clifden depois de um café-da-manhã bem reforçado. Já que estávamos gastando mais com boas acomodações preferimos economizar pelo menos uma refeição no dia, se comecemos bastante no café, iria demorar pra sentir fome, e poderíamos enganar a fome do meio do dia e investir num jantar. Então lá fomos nós. 

Pra chegar em Clifden temos que passar por Galway, esse pelo menos é o caminho mais rápido. Até Galway tudo bem, estrada grande e larga. E aqui vem uma dica. Se o seu celular não é do mais modernos com GPS e Google Maps, alugue um GPS, a estrada entra e atravessa a cidade e daí você pega outra estrada, ainda dentro da cidade. Isso aconteceu em todos os lugares pelos quais passamos.

A estrada até Galway foi super tranquila, mas quando pegamos o caminho de Clifden começamos a entender o que a galera fala de estradas estreitas da Irlanda. Eu nunca segurei tanto o fôlego na minha vida. E olga que foi cerca de 1 hora e meia só. 

Antes de chegar propriamente a Clifden paramos na Kylemore Abbey. Um dos belos cartões postais da Irlanda. Quase fomos devoradas por mosquitos. Gente, eu nunca tinha visto mosquitos que picam de verdade aqui na Irlanda, daqueles pequenininhos que se embaraçam no cabelo, pois é lá tinha. Milhões. Por todos os lados só se viam turistas encapuzados, com scarfs enroladas cobrindo tudo o que não estivesse coberto. Por sorte, estávamos com frio e fomos de casaco, daí deu pra colocar o gorro e se proteger um pouco, mas mesmo assim. Se for, leve repelente.

Kylemore Abbey

Catedral Gótica

Jardins

O passeio pela Abbey vale só pela vista. Eu não aconselharia ninguém a pagar pra entrar na Abbey ou ir nos jardins, não tem nada demais, e na Abbey mesmo você tem acesso a pouquíssimos cômodos. Foi frustrante pra mim nesse ponto. Eu iria novamente. Mas não pagaria pra entrar.

Apesar de termos nos "abastecido" bem antes de sair do B&B a fome bateu depois de passearmos e decidimos parar no café e comer algo antes de fazer o caminho até o Connemara National Park e finalmente Clifden.

Comemos e pegamos a estrada novamente, acabou que erramos a entrada do National Park e então decidimos ir logo pro outro B&B, deixar nossas coisas e achar o que fazer. Como estávamos perto do oceano, queríamos ver paisagens diferente. 

Fomos muio bem recebidas no B&B, deixamos nossas coisas e pelo Skype eu pedi umas dicas pro Heitor que disse que a gebte TINHA que fazer o caminho da Sky Road. E lá fomos nós. Ai que estrada estreita. Ai que visual recompensador. No topo da Sky Road dá pra ver o oceano até onde ele se mistura com o céu e você não sabe onde uma coisa começa e a outra acaba, a subida em si já mostra uma vista linda. Recomendadíssimo. Apesar da estrada ser super estreita existem pontos onde é possível parar o carro pra apreciar a paisagem e tirar belas fotos.

Prontas para novas aventuras

Mar, mar, mar, céu, céu, céu

No topo da Sky Road

Depois da Sky Road decidimos dar mais algumas voltas e ver onde a estrada nos levaria, nós achando que estávamos sendo super wilds, acabamos votando pro centro de Clifden. Foi engraçado. Aproveitamos pra dar uma volta pela cidade, daí decidimos comprar algumas coisas no mercado pra ter sempre que a gente fosse parar em algum lugar, e não precisar ficar comendo em cafés.

O Spire de Clifden

Fomos pro B&B e nos arrumamos pra jantar. O B&B é super perto do centro, menos de 10 minutos andando. Mas cidade pequena já viu. Fomos jantar antes das 22h, mas a maioria dos lugares já estava com a cozinha fechada. acabamos comendo no restaurante que é provavelmente o mais caro da cidade. Mas era isso ou ficar com fome. Pagamos o preço da frescura de querer nos arrumar.

Voltamos pro B&B depois de uma dia de linda paisagens.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Irish Road Trip: De Dublin a Athlone

Durante a programação da viagem a minha intenção era sair direto de Dublin até o outro lado da Irlanda, mas eu não dirijo, quem iria dirigir era a Elaine, o tempo todo. Então chegamos a conclusão de que seria melhor fazermos uma parte pequena no primeiro dia e depois, com ela mais acostumada ao volante e marchas do "lado errado" fazer trechos mais longos. Então decidimos ir até o meio da Irlanda.

Na verdade só paramos em Atlone por que as outras opções eram sem graça, a gente não planejou fazer nada na cidade. Saímos de  Dublin no Domingo, 23 de Junho por volta das 17h. A intenção era mesmo passar a noite em Atlhone e seguir viagem no dia seguinte. Foi o que fizemos. As primeiras estradas que pegamos nesse dia eram bem largas, como qualquer rodovia no Brasil. Foi super fácil achar o B&B em que ficaríamos.

Depois de deixarmos as malas fomos dar uma volta na cidade e procurar algum lugar pra comer.  Acabamos entrando em um pub onde tinha uma banda tocando do lado da porta de entrada, ficamos super sem graça por que achamos que tínhamos entrado pelo lado errado, mas não, entramos pelo lado certo mesmo, ficamos 2 minutos e saímos. Andamos, andamos e acabamos indo jantar em um restaurante perto do tal pub. Secamos uma garrafa de vinho e voltamos felizes pro B&B pra termos uma boa noite de sono e continuar viagem no dia seguinte.

Elaine super confiante no volante



Nosso primeiro quarto :)


Um chá com biscoito antes de dar uma volta pela cidade

Rio Shannon em Athlone

Uma banda bem folk tocando do lado da porta do pub Foi estranho. 

Vai um vinho?

Decoração do restaurante

Voltando por B&B às 22h30. Verão Na Irlanda é assim :)


terça-feira, 2 de julho de 2013

Irish Road Trip: A escolha do roteiro

Bom, meus amigos e minha família sabem, mas como eles nunca entram no blog e quem entra aqui não deve estar sabendo, eu viajei pela Irlanda na semana passada. Foi incrível, altamente recomendado e vou começar a contar como foi assim que eu conseguir me livrar do sono. Sério, estou no modo zumbi, mas ao invés de cérebros eu só quero dormir.

Mas vamos ao que interessa. Como eu decidi viajar e pra onde decidi ir.

Na verdade a culpa é toda da Elaine, ela ficou uma semana toda no início de Maio me atormentando que queria viajar, queria ir pra praia, pra um lugar com sol, quente, tomar banho de mar, colocar os pés na areia,  dizendo que iria marcar as férias e que já tinha visto passagens baratas. Depois de tanto ouvir decidi que ok, eu trabalho tanto, também mereço férias né? Todo mundo merece, e seria só uma semana, o que na verdade nem é pouco.

Então marcamos as férias e começamos a ver pacotes de viagens para lugares quentes e com sol. Não achamos nada barato. Fuén, fuén, fuén. Até tinham alguns lugares não muito caros, mas no fim decidimos que já que não era pra ir pra praia, melhor mesmo ficar na Irlanda. E ficamos.

Falamos por alto de alguns lugares pra irmos, excluímos outros por não dar tempo e ser mais fácil de ir de ônibus. Ah, decidimos alugar um carro pra ir. Já que é pra ficar na Irlanda, que seja com emoção né? haha

Um dia nos reunimos na casa da Elaine e com um mapa e o Google Maps abertos escolhemos pra onde ir e fizemos um mini roteiro, nada muito detalhado, o mais importante no nosso roteiro eram as cidades onde pararíamos e os lugares onde ficaríamos, pesquisamos em vários blogs e sites de viagem antes pra chegar nessas conclusões, mas os passeios em si foram mais espontâneos.

Mas e aí, pra onde nós fomos? Bom, eu vou fazer posts falando sobre isso, então fique de olho no blog. Sim, sou dessas.

Mas uma coisa eu tenho que dizer, um dos meus professores de inglês sempre repetiu, "se você quer conhecer a Irlanda, saia de Dublin" isso é a mais pura verdade. E a Irlanda é incrível :)