terça-feira, 29 de abril de 2014

A Trilogia do Retorno: As amizades

No segundo post sobre a minha volta ao Brasil, venho falar sobre algo essencial na vida de qualquer pessoa, amigos. Ficou parecendo chamada do Globo Repórter mas vai ficar assim mesmo.

Amizades

Durante o intercâmbio conheci muita gente, mas muita gente mesmo, nem dá pra dizer quanta gente, é claro que muita gente só passou na minha frente, pessoas que estudaram comigo por 2 semanas, ou por mais tempo mas nunca procuraram ter nenhum tipo de intimidade, outras que mesmo tendo ficado por pouco tempo se tornaram especias, por que nossos caminhos estavam destinados a se cruzar. E os amigos.

Eu sou e sempre fui, provavelmente sempre serei, uma pessoa de poucos amigos. Muito disso se deve ao fato de sempre ter sido muito tímida, coisa que foi mudando um pouco ao longo dos anos, mas que ainda vive em mim. Quem me conheceu junto a um grupo de pessoas sabe que eu sempre fico quieta, ouvindo e de vez em quando falo, quando tenho intimidade com todo mundo viro uma matraca descontrolada, mas chega a esse ponto demora um pouco.

Por causa do meu jeito talvez eu tenha na minha lista de amigos pessoas que me considerem mais um colega ou conhecida do que amiga, mas fazer o que né. That's life and life sucks.

O mais complicado de voltar pro Brasil no que diz respeito a amigos é que a maioria dos amigos que fiz mora em cidades completamente randômicas, e eu aqui em Orange City, só consegui me encontrar com a Karol, e isso foi há poucas semanas atrás, isso por que ela mora super perto daqui, deu até vergonha ter demorado tanto pra marcar de ir pra lá, mas outros encontros serão marcados dentre em breve.

Os amigos que eu tinha aqui antes de ir continuam sendo amigos, mas o que acontece é que a minha vida continuou quando eu me mudei daqui, continuou lá em Dublin, e a vida deles continuou aqui. Não raramente me vejo completamente sozinha e sem ter o que fazer por falta de companhia, não me entendam mal, eu não me importo nenhum pouco em ir ao cinema sozinha, ou shopping comprar sapatos, mas seria bem legal ter alguém que me ligasse de vez em quando só pra sair, beber uma cerveja e colocar a vida em dia.

One day...one day...

Nenhum comentário:

Postar um comentário