sábado, 26 de abril de 2014

A Trilogia do Retorno: Readaptação

Daqui alguns dias faz 6 meses que voltei da Irlanda, e me dei conta de que está na hora de falar um pouco da minha vida do lado de cá do Atlântico, é sempre bom deixar registrado como as coisas se seguiram. Resolvi dividir em 3 posts pra poder organizar melhor meus pensamentos.

Readaptação

Pra mim tem sido mais fácil do que eu esperava, não, eu não odiava viver em Dublin, eu não estava contando os dias desde o dia em que cheguei lá pra voltar pra casa ou nada do tipo, e sim, eu mudei muito nesses 2 anos que passei vivendo em outro país completamente diferente do meu em absolutamente tudo.

Mas por mais que eu tenha mudado eu não esqueci de como o Brasil era e sempre foi, e talvez por ter voltado pra morar na minha cidade que é pequena  e menos assustadora que uma megalópole como São Paulo ou outras capitais brasileiras, esteja sendo um pouco menos complicado pra mim. Não me confunda com uma pessoa conformada, mas esse post não é sobre revoltas e sim sobre retorno.

Eu estou feliz em estar de volta, perto da minha família principalmente, eles eram as pessoas de quem eu sempre senti mais falta, e um dos motivos mais fortes para meu retorno. Eu não voltei apenas por causa deles, e sim por um enorme conjunto de fatores.

No início eu levava sustos genuínos ao ouvir idosos conversando em português no mercado. Passava pelas pessoas na rua tentando entender que língua elas estariam conversando pra me dar conta que era o bom e velho português. Passei mal com crises de pressão baixa por causa do calor algumas muitas vezes, me assustei com os preços ao ir pela primeira vez comprar meu pão integral, iogurte natural, e requeijão de cada semana, saudades do Aldi.

Eu sou uma pessoa de ciclos, e já percebi isso há algum tempo. Eu sabia mesmo antes de ir pra Dublin que ficaria por lá por no máximo 2 anos, é claro que eu não teria voltado caso tivesse conseguido um mega emprego com um Work Permit, mas nem procurar por algo assim eu procurei, talvez por saber que em algum momento minha vontade de voltar seria muito maior do que a de ficar.

Vou ficar aqui, por quanto tempo? Só o tempo dirá.

Aqui tem cerveja gelada e churrasco de verdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário