quinta-feira, 15 de maio de 2014

Quando bate a saudade...

Dias atrás, dando uma aula sobre direções e eventos culturais bateu uma saudade incontrolável de Dublin. Talvez por ter ouvido pessoas dando direções em inglês ou por ouvir sobre tantos eventos a preços de banana ou grátis, isso por que os tais eventos e as direções nem eram de verdade, mas isso me deixou deveras saudosa da ilha do chuvisco sem fim.

As coisas das quais eu mais sinto falta com certeza são: WiFi no ônibus, saber que horas o ônibus vai passar (teoricamente), taxi barato, poder escolher que tipo de restaurante eu quero comer hoje e saber que existem boas opções que não vão me deixar pobre pro resto do mês.

O cheiro quase intoxicante da Debenhams, comprar na Zara, comprar na Breska, comprar na New Look, Tesco, 3G que funciona, ouvir inglês na rua e outras muitas línguas, homens bonitos que me deixam apaixonada em todas as esquinas. Homens bonitos. Pubs, Smithwciks.



Ryanair. Aer Lingus. Morar numa “cidade grande” que não é estressante.

Comprar passagens baratas pra viajar pra outro país, e ainda ter a possibilidade de viajar pra outro país e gastar menos do que gasto onde moro por que a moeda de lá é menos valorizada.

É claro que as pessoas fazem muito mais falta acima de tudo, mas eu queria falar só de coisas dessa vez.


E pra quem insiste em perguntar se eu vou voltar pra Irlanda, a resposta de hoje é a mesma do mês passado e de ontem, NÃO. Pode ser que daqui há algum tempo ela mude, mas por enquanto essa é uma das certezas para os próximos meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário